© MMXVII Glauco Fonseca . Todos os direitos reservados.

Textos podem ser republicados mediante citação de autoria.

Mudando o Brasil em 2018. E pra valer!

May 11, 2017

 

Que bom que ano que vem tem eleição!

Moro, Bretas e Wallisney vão condenar alguns nos tribunais e nós, nas urnas, vamos condenar outros ao limbo eterno.

O tríplex e o sítio sãos os menores problemas de Lula. A Sete Brasil, o Palocci, o CARF, o BNDES e as sacanagens africanas, além das delações ainda desconhecidas é que pulverizarão o petismo para sempre. Agora falta pouco.

 

Deixando isso de lado por alguns instantes, preparemo-nos para renovar em 2018 AINDA EM 2017.

 

Minhas sugestões para MUDAR O SISTEMA POLÍTICO-ELEITORAL AINDA NESTE ANO:

 

- Todo sujeito disposto às urnas declara, automaticamente, a abertura de seus sigilos fiscal, telemático e bancário. O Ministério Público Eleitoral pode, a qualquer momento, mediante autorização judicial sumária do PGE, fazer uso da prerrogativa em segredo de justiça;

 

- Em caso de prática ilícita por parte do detentor de mandato, MPE e TSE tem 30 dias para apresentar ao STF a acusação junto ao STF. Este, por sua vez, teria 30 dias para julgar o feito;

 

- Em caso de apresentação de denúncia pelo PGE ao STF, o detentor de mandato é afastado automaticamente de suas funções por até 60 dias;

 

- Quebra de sigilos automática e extensível a familiares ascendentes e/ou descendentes em até terceiro grau;

 

- Registro de canais de comunicação a serem utilizados pelo detentor de mandato, sendo VEDADOS outros canais em caráter privado. O uso de telefones, e-mails, canais VOiP e outros meios de comunicação privados ficam sujeitos a fiscalização por parte do MPF e do MPE;

 

- Vedação de operações bancárias (empréstimos em geral) que excedam os valores pertinentes aos ganhos diretos do parlamentar em exercício de função pública durante o período do mandato;

 

- Perda do mandato por desídia na função, tais como faltas em plenário e comissões, pífia produção parlamentar, desvio de foco de projetos que possam apontar para o desinteresse público. Com 15% de faltas não justificadas num ano, o ano seguinte passa para 10% e não inicia terceiro ano de mandato em caso de descumprimento. Os casos de produção parlamentar pífia deverão ser objeto de um painel público diário, no site da Transparência, com os trabalhos parlamentares e os que ficarem nas últimas 50 posições (caso da Câmara) e 10 (Senado) deverão ser substituídos a cada dois anos por seus oponentes eleitorais.

 

- Revisão dos sistemas de cotas parlamentares, com redução de pelo menos 50% dos valores dispendidos. Redução de passagens aéreas em 25% e de custos com escritórios parlamentares em 75%. Aluguel de carro apenas POPULARES e APENAS NOS PERÍODOS EM QUE OS PARLAMENTARES estejam EM SUAS BASES!

 

Se a ideia é levar a Brasília apenas brasileiros probos e do bem, o caminho é por aí.

Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now